Videogame Farcry5 é ambientado em uma América rural e o inimigo é uma seita cristã

Tratores, colheitadeiras e até o caminhão da cooperativa fazem parte do cenário.



Não espere que o terrorismo venha de uma possível invasão do ISIS ao território americano. O inimigo escolhido pelos desenvolvedores do jogo Farcry5 (uma das melhores franquias de jogos de todos os tempos) é interno, representado por uma seita cristã que decidiu usar a força para tomar conta de todo o país. Os jogadores fazem parte do grupo rebelde que, aliado aos moradores locais, liberta as cidades da ocupação violenta.

O jogo abusa no uso de símbolos cristãos, interpretação da Santa Ceia, crucifixos jogados pelo chão e até mesmo a música Amazing Grace é executada para dar um tom específico à trama.










Tratores, cães e muito tiro neste cenário rural do interior dos EUA.



Existe uma intenção ideológica por trás da virada de cenário (edições anteriores foram ambientadas em ilhas fictícias, regiões remotas da África e até mesmo na pré-história). Um dos responsáveis pela criação do jogo disse em uma das entrevistas durante a E3 (evento que ocorre nos EUA, palco do lançamento de diversos jogos) que trazer uma situação de guerrilha e a luta contra um grupo fundamentalista cristão para uma cidade fictícia do estado de Montana, no interior do país, serve para focarmos nestes sentimentos desconfortáveis trazidos pela América de 2017. Leia-se a América de Trump.

O Farcry 5 estará disponível em fevereiro de 2018 para PC, PlayStation 4 e Xbox One. Foi desenvolvido pela Ubisoft canadense (olha quem diria).